sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Do tamanho certo para o meu sorriso




O novo disco da artista Fafá de Belém é o Pará inteiro desfilando pelo Brasil. O álbum tem uma pegada brega que baila nas guitarradas eletrônicas e nas batidas do tecnobrega (marca registrada dos paraenses). Uma explosão envolvente que causa a malemolência embalante e sensual necessária na primeira dança a dois. É verdade também que o disco possui um Q de dor de cotovelo com músicas românticas boas de serem ouvidas. Como sugestão, a faixa Asfalto Amarelo, música de Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro e Zeca Baleiro. Fafá de Belém, representante nata da cena musical do Norte, inova e se reinventa dentro de um bailado cativante e de qualidade "Do tamanho certo para o meu sorriso". Ouça aqui




terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Silvio Tadeu da Cruz



O Silvio Tadeu, por mim chamado apenas de Bob, sempre mexeu com o meu imaginário. Me perguntava de onde ele teria vindo, quem ele era e quando teria surgido esse moço nessa Fortaleza de pedras. Me perguntava, no auge do meu romantismo juvenil, se teria tido uma dessas desilusões amorosas que fazem as pessoas perder o juízo e perambularem por nossa cidade. A verdade, é que cresci fantasiando. Procurava uma história que lhe fosse digna, apesar de sua condição totalmente contrária.
Medo, nojo e desprezo eram sentimentos recorrentes nos inúmeros comentários pejorativos emaranhados de preconceitos, que muitas vezes presenciei na parada de ônibus da Av. Duque de Caxias,entre as ruas assunção e solon pinheiro, contra esse solitário moço sentado no outro lado da avenida numa calçada suja de estacionamento.
O que várias daquelas pessoas não sabiam era da sua incrível habilidade com os números. Era ele quem resolvia os tão enfadonhos módulos de recuperação de uma escola tão respeitada próxima a praça do Carmo. (Aquela, que o povo passa porque sabe!)
Graças aos anjos, ele reconquistou sua dignidade, sua tão carinhosa família e sua identidade. O Bob por fim se foi. Deixou as ruas de nossa cidade para virar lenda, para virar lembranças, para virar Silvio Tadeu da Cruz.